terça-feira, 29 de setembro de 2015

VIDEO: Outfits Ideas For School!

 Olá a todos! Este post está atrasado umas semanitas, mas mais vale tarde do que nunca, certo? Espero que vocês achem o mesmo!

 Vim falar do vídeo de Outfits Ideas For School, que foi o 1º episódio da série "Regresso às aulas!". Reparei que o vídeo atingiu mais pessoas do que eu pensei e só vos tenho a agradecer por isso, vocês são incríveis! :D

Então, 'bora lá?

  1º look! 


Camisola: Loja local na cidade de Espinho. 
Saia: Morgan | "roubei-a" do armário da minha mãe de quando era mais nova, eheh |.
Sandálias: Feira de Espinho.
Pulseiras: 3 foram oferecidas e uma feita por mim num post de DIY!
Brincos: Primark.


 2º look! 


Crop Top: Zara.
Saia: Mais uma vez, um achado no armário da mamã.
Sandálias: Feira de Espinho.


 3º look! 


Camisa: Primark.
Calças: Foram oferecidas.
Sapatilhas: Converse; All Star.


 4º look! 


Vestido: Inside.
Calçado: Sapataria Klass. 


___________


 Espero que tenham gostado do vídeo e para quem ainda não viu deixo-o aqui! 



Um milhão de beijinhos e sejam felizes! <3

sábado, 26 de setembro de 2015

A minha vida está do avesso!

À muito tempo que não vos escrevo e senti necessidade de justificar este meu afastamento, não apenas do blog mas de muitas outras coisas que fazem parte da minha vida.
 Desde sempre vos dei a conhecer cada pedacinho de mim e todos vocês desde sempre receberam cada pedacinho que eu vos mostrava, para minha felicidade.
 Mas a vida não é apenas feita de coisas boas, e neste momento eu não estou bem e eu percebi que não tem mal nenhum mostrar o meu lado fraco, pela primeira vez na vida.
 Poucas pessoas sabem realmente o que se passa e eu achei que devia de partilhar convosco o que tem acontecido.
 Para falar sobre o presente eu preciso de voltar à 10 anos atrás.
Quando eu tinha 8 anos era uma criança super ligada ao meu pai (sou uma eterna menina do papá). A minha mãe trabalhava todo o dia e o meu pai trabalhava durante a noite, sendo que, desta maneira, tinha uma forte ligação com o meu pai que mantenho até aos dias de hoje.
 Mas a vida nunca foi fácil para nós. Na altura estávamos com vários problemas económicos e a solução foi o meu pai partir e deixar cá a sua família, que na altura eramos eu e a minha mãe. Foi uma das coisas mais traumatizantes na minha vida, simplesmente não reagia a nada. A minha mãe era chamada à escola várias vezes porque eu estava sempre quieta, calada, a olhar pela janela. Em casa eu lembro-me que comia muito pouco e isso preocupava os meus pais então, inicialmente, de duas em duas semanas o meu pai vinha a Portugal. Como as viagens são caras mal me comecei a habituar o meu pai começou a vir de três em três semanas.
 Estes longos e difíceis 10 anos foram recheados tanto de coisas menos boas como de coisas boas, sendo que a melhor foi, sem dúvida, o nascimento do meu irmão. Pouca gente sabe mas este pequenito tão precioso na minha vida nasceu no dia anterior ao meu 12º aniversário, ou seja, ele faz anos no dia 22 de Maio e eu no dia 23 de Maio e, neste momento, o meu irmão tem 6 anos. 
 Desde sempre este menino foi especial para mim e desde que ele nasceu não havia como negar: ele é sem dúvida a pessoa mais importante na minha vida. Sempre tivemos uma excelente relação apesar da nossa grande diferença de idades. Lembro-me que grande parte das manhãs acordava-me com o seu: “Bom dia princesa, é hora de acordar!”. Graças a Deus sempre dei muito valor a todos os mimos, palavras e gestos que recebi desta pequena mas, ao mesmo tempo, gigante pessoa.
 Durante este tempo em que o meu pai esteve fora conseguimos controlar mais ou menos a nossa vida. E sim, estou a falar a nível financeiro. Mas como em todo o lado existem dias piores e dias melhores. E eu pergunto-me: Já tive dias piores? Já e não foram poucos. Mas já tive dias melhores? Sim, também.
 Tudo o que os meus pais queriam e querem é tudo o que todos os pais desejam, ou deveriam desejar, para os seus filhos. Querem oferecer-nos uma vida mais estável e sem tantas oscilações, e um futuro com mais possibilidades. E, infelizmente para mim, eles não encontraram isso em Portugal.
 Eu já sabia do que ia acontecer á um bom tempo, mas chegar ao momento e ter de me despedir dos meus pais e do meu menino foi a coisa mais difícil que alguma vez já fiz.
 As minhas férias em França foram 2 meses porque queríamos aproveitar este tempo em família que, desde que o meu pai foi trabalhar para fora á 10 anos atrás, nunca mais tivemos porque não, um fim-de-semana não chega.
 Foram os melhores 2 meses deste ano e digo isto com todas as certezas.
 Sou igualmente uma menina da mamã, desde sempre fui. E ela desde sempre foi, sem dúvida, a minha única e melhor amiga.
 Passamos por tantas coisas juntas que nunca ninguém irá imaginar. Só nos tínhamos uma à outra e, onde viam uma, eu posso garantir que a outra andava por perto!
 Em toda a minha vida sempre fui uma pessoa optimista, sempre fui a mais optimista de nós as duas, aliás. Não é mãe? Sempre que havia decisões a ser tomadas consultávamo-nos uma à outra, fosse o que fosse. Sempre me senti à vontade para falar com a minha mãe à cerca de tudo e sempre que eu precisava do meu espaço, fosse por que razão fosse, sempre tinha a sua compreensão.
 Sinto muito a falta dos meus pais. Do meu irmão. E é algo que sinto diariamente e em todos os segundos do meu dia. Não dá para explicar.  
 Falo com os meus pais, no mínimo, 3 vezes por dia. Mas admito que já falamos o dobro!
 Hoje eu estou aqui a abrir o meu coração para vocês. Talvez até seja a primeira vez que estou a fazê-lo com alguém desde que os mais pais foram para França.
 Sinto-me totalmente vazia. Estou rodeada de pessoas que me amam: da minha família, do meu namorado e de alguns amigos, mas continuo a sentir-me sozinha porque nunca nada irá substituir o espaço que estas três pessoas ocupam na minha vida.
 Apesar disso nunca me senti tão orgulhosa por os meus pais estarem a arriscar tudo só para nos dar uma vida melhor e não passarmos pelo que eles passaram. Estou mesmo orgulhosa, de verdade, porque também sei o quanto eles sentem a minha falta e o quanto custa.
 De vez em quando olho à minha volta e acho que não vou conseguir. E não estou a falar sobre isto, estou a falar de tudo o que me rodeia, de todos os meus objectivos e do meu objectivo maior. Li algures uma frase que dizia: “Deus coloca obstáculos na tua vida porque sabe que és capaz de atravessar por cada um deles”. A única coisa que eu consigo dizer, no caso perguntar, é porquê. Porquê tanta coisa e tantos obstáculos ao mesmo tempo. Eu não me sinto capaz de atravessar por cada um deles, eu não me sinto mesmo.
 E se eu não conseguir? E se eu não for capaz de suportar isto? E se eu não conseguir alcançar todos os meus objectivos? Todos os meus sonhos?
Tudo o que eu queria neste momento era uma certeza. A certeza de que no futuro iria ou não acontecer alguma coisa. Sempre fui a pessoa que não pensa em nada, mas que faz uma lista todos os dias para saber o que tem de fazer. A minha vida mudou tanto de um dia para o outro que eu tenho tanto medo de tudo o que pode acontecer futuramente.
 Eu afastei-me de pessoas por quem tinha um grande carinho e aproximei-me de outras pessoas. E eu algum dia ia acreditar que isso ia acontecer? Nem por sombras!
 Não me sinto bem no meio de grande parte das pessoas que considero amigos e passei tanto tempo a pensar nisso que simplesmente chega.
 Tenho pessoas à minha volta que fazem da sua vida uma competição. Parece que tudo o que querem é serem melhores do que os outros, serem superiores. E se eu já não suportar pessoas assim?
 Tenho pessoas que falam que eu estou diferente. Diferente desde que voltei, diferente desde que tenho o blog e o canal. E realmente eu mudei, tornei-me mais persistente, mas confiante e lutadora. Tornei-me uma pessoa menos fechada. Então e porque é que todos estes adjectivos são apelidados de “mudaste para pior” quando todos eles são positivos, a meu ver pelo menos… Então como é que às pessoas que se consideram minhas amigas o facto de eu ter mudado incomoda? Mudei mesmo! E graças a Deus que sim! Porque eu não quero ser a rapariga que ficava o verão trancado em casa porque tinha vergonha do seu corpo. Nem quero ser a pessoa que se afastou de toda a gente. Não quero ser a pessoa que pensa sequer em desistir de algo.
 Mas mais do que tudo isto que me incomoda, existe mais uma coisa.
 Incomoda-me o facto de não ter as pessoas que mais gostei de conviver presentes. Os meus pais, o meu irmão, uma grande amiga minha que todos os dias eu rezo por ela para realizar todos os seus sonhos, que é sem dúvida a pessoa mais carinhosa que eu já conheci e aquela pessoa que eu quero que seja madrinha dos meus filhos só para a ter presente na minha vida. Porque amizades com oito anos são amizades para a vida, não há como acabar. O meu avô porque eu sempre fui a menina do avô e ele ocupa um espaço em mim que é gigante apesar de já não estar presente. Pessoas que conheci à uns três anos atrás e são simplesmente cinco estrelas. Pessoas que conheci à seis anos atrás e vou sempre desejar para que sejam as pessoas mais felizes do mundo.
 No meio disto tudo eu não podia deixar de agradecer ao Tiago, o meu namorado, que desde o primeiro dia sempre foi o meu maior apoio em tudo. Sempre foi a pessoa com quem eu nunca tive medo de ser quem realmente sou, de me rir e de o fazer rir como loucos. Tenho de o agradecer por me fazer dançar com ele no meio da rua, por andarmos a correr na chuva e por todas as vezes que caminhava quilómetros só para ir ter comigo. Tenho de agradecer por me ajudar com as imagens utilizadas no blog. Tenho de agradecer todas as vezes em que não preciso de me fazer de forte, em que simplesmente posso-me deitar no seu peito e chorar porque sei que ele vai estar lá, a mimar-me, a abraçar-me e a fazer com que tudo pareça melhor. Tenho que agradecer os dias em que estou doente e ele vem ter comigo para cuidar de mim, para me encher de mimos, para me fazer sorrir. Tenho de agradecer a paciência que desde sempre teve comigo, de todas as vezes que disse: “Agora não posso, estou a editar/escrever/publicar” e ele manteve-se ao meu lado, horas a fio, à espera que pudesse finalmente sair. Tenho também de agradecer todas as noites em que vinhas a correr a minha casa, ou de bicicleta, ou quando gastavas dinheiro em táxis, só para me dar um beijinho de boa noite, só para resolver algo que nos estava a perturbar. Falta-me agradecer por todas as manhãs em que eu acordava cheia de surpresas por ti. Quando me acordavas a tocar guitarra, todas as músicas que eu adorava. Todas as vezes que me acordaste com um sorriso estampado no rosto que fazia o resto do meu dia feliz, melhor. Quando me acordaste com ferrero rocher. Tenho de agradecer por, no meio de uma conversa eu ter referido que nunca tinha recebido flores, e passado dois minutos apareceres com um ramo de rosas. És sensacional. Tenho de te agradecer por todas as tardes e noites de inverno em que me emprestavas o teu casaco e cachecol só para não ficar doente. Tenho de agradecer-te também por deixares que o teu sofá seja espécie de um refúgio e de quando eu lá adormeço acordares-me com um belo lanche. Tenho de agradecer-te por tanta coisa que me perdi no meio de tantos obrigadas.
Mas por último, obrigada por me fazeres sentir e ser a única, obrigada por me ajudares a superar todos os meus medos. Obrigada por me fazeres acreditar que sou capaz de tudo o que eu quiser. Ainda mais obrigada por, não só me ensinares a amar-me a mim mesma, mas por me amares da maneira mais linda, mais especial e mais verdadeira que eu alguma vez já vi.
 Obrigada a todos vocês também por sempre me terem recebido de braços abertos e por cada mensagem maravilhosa que partilham comigo. Vocês enchem-me o coração!
 Caso se estejam a perguntar eu não vou desistir nem do blog nem do canal. Eu vou continuar aqui, talvez não estarei sempre forte e firme, mas vocês são a minha segunda família, não há como negar o quanto são especiais para mim.
Agora já sabem o porquê de ter andado afastada e neste momento tenho de dizer também que não tenho internet. Em breve resolverei esse problema mas neste momento é bem difícil estar sempre ativa como costumava estar. Espero a vossa compreensão. 
 Obrigada aos meus pais, por sempre acreditarem em mim e mesmo estando tão distantes acompanharem tudo o que eu faço com o maior gosto do mundo! Vocês são uns heróis, obrigada por me apoiarem em todos os meus sonhos e por me incentivarem a continuar mesmo que pareça impossível! Não tenho palavras suficientes para vos explicar o quanto vos amo.
 Espero por vocês.


 Um milhão de beijinhos para todos vocês e sejam felizes! <3